"Aos leitores, gratidão, essa palavra-tudo."
Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 11 de setembro de 2012

It's easy

It's easy ?
It's easy do you say
If do you do that
what did you say.

Maybe can you...
Maybe can you...
Oh Lord!
If .....

that's only words
only words 
nothing more.

domingo, 8 de abril de 2012

FALSO AMOR


Cata
chuta
caça

laça
lava
larga

senta
suja
sai

Mata.

(Cybelle Ortins)

RESTO

Voce invade
me invade
usa e me abusa
e segue assim
dizendo que gosta
de mim
me gasta
arrasta
engana
maltrata
e diz que me ama
Some! me esquece
e deixa
o que sobra de mim.
Versos que ficaram esquecidos
me pergunto por que?
porque me afastando
destes afasto tambem meu sofrer

Versos, versos esparsos
versos cheios de pudores
versos ora desbocados
queria esquecer-vos
mas não posso
mesmo os tendo ofuscado
por coisas de menor brilho.

Versos esparssos e esquecidos
como temo ter-vos saqueado
de sua rimas pueris
de seus dilemas ingênuos
de sua pretensão
a serem chocantes - ou não.
de sua paixão pelo Amor

Agora trago comigo
temperos amargos, diversos
um misto de tanto e muitos
e ao mesmo tempo ainda conservo
uma certa essencia um resquicio
de anseio, de falta.

sábado, 16 de julho de 2011

TODOS OS MESES



Todos os meses

você me envergonha,

me constrange e me persegue


Todos esses dias

eu gasto-me

pensando em ti




E gasto minhas entranhas

tentando resolver

o que já se sabe assumido.

(Cybelle Ortins)

terça-feira, 5 de julho de 2011

Quem és?




Quem és?

Tu que me assustas

Com teu amor

que eu nem suspeitava;



Quem és,

que me assombras com delicadezas

com as quais apenas sonhei?

delicadezas que desejei pela vida inteira...

porque, agora te desprezo?


Chegaram tão inesperadamente

vindas de quem eu não desejava

que não sei de as devoro esfomeada

ou se me retiro para o nada

de onde tantas vezes desejei fugir.

(Cybelle Ortins)








domingo, 20 de março de 2011

Possibilidade


Há três anos eu era folha
seca, levada ao vento
e um vento mais forte
me soprou longe
Há dois anos virei erva
frágil e embora viçosa
muito pequena
mais um ano
e sou semente
com todas as possibilidades
que a semente em si encerra.
aguardando a hora
de germinar, de crescer,
carente de cuidados
hora regada, hora não
mas resistente mesmo que
ainda uma possibilidade.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Quando eu morrer


Quando eu morrer se alguem puder
derrame uma lágrima de saudade
ou guarde de mim uma foto
pra lembrar que um dia existi
e que fiz parte de alguma história.
Que a minha vida tenha feito algum sentido
que esteja ao menos num vestigio
de memória que se esvai.


(Cybelle Ortins)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

sua proposta de amor


Sua proposta de amor
é que consome
essa duvida que é seu sobrenome
a incógnita eterna
do eterno amor
o prazer que lateja sofrejando
a chama azul que arde em mim
queimando meu corpo
e minha pele
queimando o pouco juízo que há em mim
queimando a razão
que me enraíza
a razão que me faz resistir
esse amor que não faz nenhum sentido
a não ser o sentido de existir
vem quebrando fortalezas e pilares
que levei anos para construir
vem arrancar os meus castelos
ou vem castelos construir ?
(Cybelle ortins)

sábado, 3 de julho de 2010

LUZ




A liberdade me tocou

sua luz me invadiu

uma luz infinita

que brilha em mim

e eu sou livre

infinitamente livre

porque você acreditou em mim

e eu aceitei você por inteiro

já não há reservas

eu fui cego

e agora vejo
e seu amor é que me liberta
agora já não posso esconder tua luz
porque ela brilha em mim.
(Cybelle Ortins)