"Aos leitores, gratidão, essa palavra-tudo."
Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Bebezinha

(In memória)


Você chegou antes da hora
nem deu tempo de saber seu nome,
você chegou com pressa,
fazendo história,
menina sapca, levada da breca
linda e pequenina...
tão pequena e tão forte;
Júlia, Rita, Maria, Laura, Cecília...
tantos nomes que pensamos pra você!
Tanto amor pra te dar e te fazer crescer!
Você já tem o pai que chora
e isso porquê voce nem tem namoradinho,
imagina quando estiver indo pra balada?!!!
Ahhh... pequenininha, sua mãe também tá aqui
bem juntinho de você! Te esperando ainda
E você também tem suas avós, pequenininha,
que vão te encher de mimos bonequinha,
e aproveita que avós fazem de tudo que você quer!
(Psiu! Não deixa elas saberem que eu te contei!)
Olha, pequenina, tem alguém especial e importante
que também veio te ver; è Jesus
ele ama e cuida de você
mas acho que você já sabe disso!
Aliás, me contaram que é com ele que você conversa
nessa língua que só Jesus e os bebês conhecem
Então meu amor, vou ficar aqui quietinha
orando e esperando por você
te dando todo amor que você precisa pra vencer!

(Cybelle Ortins)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Escreva para mim


Escreva para mim
escreva como se sussurrasse
palavras de amor ao meu ouvido
Escreva para mim
conte-me tudo de como te sentes
se eu te falto
escreva-me, descreva-me
corpo, alma e pele
preciso saber, preciso ouvir
te trazer marcado a ferro
dentro de mim.

(Cybelle Ortins)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Renúncia

prova de fogo
viver a vida sem viver
respirar
ou apenas existir...
renunciar
dar a sua vida
por outras vidas
que precisam existir
resistir
sufocar desejos
sufocar ardores
sufocar paixão
engolir litros de amargura
e viver a solidão assumida
desistir
desistir da esperança
abandonar as palavras
abandonar a vida
construir a casa
no pó e na cinza
beber o fel
cuspir o mel
mentir os sonhos
cortar a língua
guardar espadas
espancar paredes
sufocar calada
andar até sangrar os pés
rasgar o nada
cobrir verdades
comer a lua
chorar madrugadas
fugir do sol
parecer demente
sorrir chorando
chorar contente
pedir perdão
sofrer o não
engolir angústias
amarrar os nervos
matar o coração
sair do alto
deitar no chão
pedir comida
cuspir o pão
quebrar o prato
encher o pote
jogar no chão.

(Cybelle Ortins)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Até tocar as estrelas


Quando olhei o céu
e vi as estrelas
nelas comtemplei o seu sorriso
e aquela lágrima no meu rosto
tornou-se apenas brilho
em meio à escuridão.
Olhei o vale e nele já não estava tão perdido
pois no caminho
pude ver seus passos;
Quando comtemplei o mar
me desarmei inteira
foi no mar que encontrei
o teu olhar
e na força das ondas
deixei minhas fraquezas
e segui pelo caminho,
o meu caminho,
e toquei as rosas e os espinhos
e na jornada fiz amigos;
Amigos se foram esquecidos
amores que foram,
amores virão;
e as pedras;
as pedras sempre serão pedras,
feridas são abertas
feridas sararão
e eu caminharei até tocar estrelas
amarei,
cantarei,
chorarei,
caminharei até tocar as estrelas.
(Cybelle Ortins)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Anjo


Um ano inteiro
longe das palavras,
Um ano inteiro
que não escuto
sua voz
dizendo pra mim
tudo que uma mulher quer ouvir
Uma vez só eu queria escutar
meu anjo a sussurar
todas as palavras de amor
que o tempo roubou de mim
Queria meu anjo,
sentir o seu abraço
e deixar em suas asas
meu amor partir.
(Cybelle Ortins)